O oásis de Huacachina (Peru)

No Perú temos optado por viajar sempre na Cruz del Sur. É mais caro mas mais seguro, vão ler muitas vezes frases parecidas porque é mesmo uma companhia de referência no país. Poucas vezes viajaremos nestas condições, onde podemos mesmo escolher as refeições.

Chegámos a Ica antes da hora prevista, por volta das 8h da manhã, e fomos de táxi até ao oásis, Huacachina. Fomos deixados no hostel, largámos as malas e fomos caminhar para descobrir em que empresa iríamos fazer o sandboarding. O taxista deu-nos um cartão porque, pasmem-se, também tem uma agência de viagens. Fizemos a reserva para essa tarde e fomos aproveitar o dia na piscina de um hotel. Há muito tempo que não tínhamos dias tão bons, a puxar para praia ou para piscina, um “refresh” depois de tanto tempo com roupa de inverno.

DSC_9681

O que tem esta pequena vila de especial? Huacachina é uma vila que cresceu em torno de um oásis, cercada por altas dunas de areia. Apesar de ser um destino turístico relativamente famoso, só tem 100 habitantes permanentes.
Claro que se investigarem na internet vão encontrar uma versão em forma de lenda para explicar o aparecimento do oásis.

GOPR7903

O que fazer?
Ir para a piscina do DM Hoteles em frente ao oásis. O dia completo custou 20 PEN (5€) por pessoa. As casas de banho não funcionam muito bem, para um serviço que é pago, mas o dia estava agradável, a piscina é grande, com espreguiçadeiras, toalhas e serviço de bar.

Fazer sandboarding. Os buggies são velhos, mas têm todos cinto, super essencial. Os motoristas são experientes e conhecem bem as dunas. Calhou-nos um meio louco, o que nos deu viagens divertidas. À nossa frente tínhamos duas mães, cada uma com o seu filho, e estavam a curtir à grande. Talvez o miúdo mais novo nem tanto, principalmente por não ter sido obrigado a colocar o cinto. O sandboarding já não foi tão bom. Para o Tiago tem pouca adrenalina, para a Raquel não vale a pena pela areia que se traz para casa. O sandboarding é feito em dois locais diferentes, as vezes que quiserem se conseguirem tornar a subir a duna, aproveitando a demora dos companheiros de viagem mais hesitantes. Todos os buggies vão cheios, uns maiores que outros. Tentem pagar o menos possível porque depois são entregues a um motorista livre e o serviço é todo igual. Nós fomos pela Peru in your hands, o preço base permite fazer sandboarding deitados sobre a prancha, mas podem alugar uma prancha para fazer em pé, mais cara.

GOPR7925GOPR7919GOPR7915

Ver o pôr do sol da última duna, quase a encerrar a viagem, faz toda a diferença e dá uma maravilhosa imagem do oásis. Deve-se ir de ténis/sapatilhas, calças e camisola, podem optar por ir de gola ou com um lenço, porque permite sempre tapar parte da cara e evitar comer areia. Não vale a pena ir com muitos acessórios, a viagem é agitada e os objetos podem saltar fora do buggie.

Subir as dunas sozinho, ver a paisagem, ou mesmo fazer sandboaring “por conta própria”. Andar de gaivota e fazer praia no lago. A partir daqui podem também fazer tours mais distantes, como as famosas linhas de Nazca.

DSC_9705DSC_9722

Onde ficar?
O Huacachina Backpackers House pode ser uma boa solução, bastante económica (custou 5€ por pessoa em dormitório). Os chuveiros não estão estruturados da melhor forma e a água em algumas das casas de banho não estava quente. Não tem cozinha, mas tem descontos em restaurantes. Tem uma sala, relativamente segura, para guardar bagagem.

O que comer?
Tomámos o pequeno-almoço no hostel, que tem um sistema de pulseiras que dá descontos em vários restaurantes. Para não variar, escolhemos um único menu, mais completo, para que pudéssemos partilhar. O primeiro almoço foi no mesmo local, porque vimos que havia um menu de hambúrguer. A comida era bem confecionada.
O segundo almoço foi noutro restaurante, do outro lado do lago, o Wild Olive Trattoria & Guest House. Atenção às promoções, façam as contas, às vezes pouco têm de atrativo.

Vale a pena?
O oásis é bonito, mas a vila bastante pequena. Há pouco que fazer além do sandboarding e passeios de buggie. O clima é bom e vale a pena passar lá um ou dois dias, principalmente em épocas mais “festivas”.

365 dias no mundo estiveram 2 dias em Huacachina, de 10 a 11 de Maio de 2017
Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥
Preços: económico
Categorias: oásis, sandboarding, buggy, relax
Essencial: passeio de buggy e sandboarding
Estadia Recomendada: 2 dias

DSC_9682DSC_9697

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s