NY CITY PASS – COMPRAR OU NÃO COMPRAR?

Nós não somos turistas muito relaxados, o que nos faz gastar bastante dinheiro por comparação com os mais poupados, amantes de ir na onda de cada spot. Não gostamos só de pisar os locais, as cidades, queremos também sentir a pulsação, os cheiros, conhecer a história, experimentar a comida típica e ir às principais atrações. Nova Iorque não foi exceção, queríamos ir aos locais clichés, aos museus, à Estátua da Liberdade, fazer um cruzeiro sob as míticas pontes, etc. Mas já tínhamos planeado a nossa grande viagem (esta viagem foi anterior), portanto todo o dinheiro gasto agora implicaria contenção na volta ao mundo.

Para nós, fez todo o sentido comprar o NY CityPass. Queríamos ir a quase todos os pontos chave. Podíamos optar por cortar alguns, ou ver apenas o edifício pelo exterior, ou escolher visitar alguns locais no seu dia e hora de PAY WHAT YOU WISH (só pagam o que quiserem, mas não são os únicos a querer poupar, a fila vai ser imensa, e podem entrar mais tarde do que estavam à espera e ter menos tempo de visita).

Comprámos dois dias antes da viagem no site e depois fomos trocar para a versão impressa no Empire State Building. Há descontos para jovens (dos 6 aos 17 anos). É necessário ter atenção quando se viaja com crianças menores de 6 anos. Em algumas atrações a entrada é grátis, mas pode ser obrigatório ficar na fila principal para receber esse bilhete gratuito ou com desconto infantil.

DSC_1611

Há dois tipos, a escolha depende de vários fatores, como atrações que interessam a quem visita a cidade, duração da estadia, plafond.

C3

Custa 73,08€, versão móvel.

Permite escolher 3 das seguintes atrações:

  • Empire State Building,
  • Deck de Observação do Top of the Rock,
  • Museu Americano de História Natural,
  • Memorial e Museu do 11 de setembro,
  • Estátua da Liberdade e Ilha Ellis,
  • The Metropolitan Museum of Art,
  • Cruzeiros da Circle Line,
  • Museu Intrépido do Mar, Ar e Espaço,
  • Museu Guggenheim e
  • Cruzeiros de Turismo Hornblower.

DSC_1866

CityPass

Custa 112,30€, pode ser recebido no telemóvel ou ser trocado por um livro de talões, em que é a bilheteira da atração que arranca o talão correspondente. Nota: se forem vocês a arrancar perde a validade.

É um belo caderninho com destacáveis, em que têm de tomar 3 decisões de escolha entre ir a X ao invés de Y, e estão incluídos mais 3 bilhetes únicos. Resumindo, têm 6 bilhetes que podem ser usados durante 9 dias consecutivos.

Estão incluídos sempre:

  • Empire State Building,
  • Museu Americano de História Natural e
  • The Metropolitan Museum of Art.

DSC_2004

Estão incluídos em versão de escolha 1:

  • Deck de Observação do Top of the Rock OU Museu Guggenheim,
  • Estátua da Liberdade e Ilha Ellis OU Cruzeiros da Circle Line e
  • Memorial e Museu do 11 de setembro OU Museu Intrépido do Mar, Ar e Espaço.

DSC_1782

O caderno ainda inclui alguns descontos em lojas (Macy’s, Bloomingdale’s) ou outras atrações (City Sightseeing) e permite visitar as atrações que iriam ficar de fora nas escolhas acima com um desconto simbólico (menos 2-3$ que o bilhete normal). Cada atração tem a morada no verso do bilhete, horário e como chegar de transportes públicos.

Todas as atrações pagas de forma individual custariam 191,75€. Para quem não está convencido, há ainda uma ENORME vantagem, saltam filas de espera, pois há prioridade para portadores de City Pass. De inverno pode não parecer vantajoso, mas na época alta é uma vantagem gigante.

Vale a pena?

Depende de quem pergunta, ou seja, querem MESMO visitar aqueles locais? Têm tempo? A maioria deles obriga a uma visita de 2 a 4 horas. Para nós, numa viagem de 7 dias, fez TODO O SENTIDO. Comprámos o City Pass e fomos aos 3 incluídos (Empire State Building, duas vezes no mesmo dia (dia e noite), Museu de História Natural e MET), nas escolhas, decidimos fazer o cruzeiro, porque comprámos o bilhete da Estátua da Liberdade à parte, com subida até à coroa (falaremos nisso), escolhemos ir ao Top of the Rock e ao Memorial do 11 de setembro. Fomos ao Guggenheim na mesma, mas depois explicamos como.

 

Há outros sistemas, como:

Estes funcionam na base de descontos sobre o preço normal das atrações, mas também têm “pacotes” de entradas combinadas. Considerando que há alguns museus que têm dias “grátis”, pode não ser vantajoso.

 

Queremos deixar claro, como costumamos fazer, que a compra do CityPass foi uma decisão pessoal, orientada para o nosso tipo de viagem, e adaptada à duração da nossa estadia. É a nossa opinião, fundamentada nos nossos gostos pessoais, acreditamos que pessoas diferentes façam escolhas diferentes.

 

365 dias no mundo estiveram 7 dias em Nova Iorque, de  14 a 21 de janeiro de 2017
Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥  
Preços: elevados
Categorias: cidade, cultura, música, arquitetura, compras, teatro
Essencial: Manhattan, Brooklyn, Bronx, Harlem
Estadia Recomendada: mínimo de 5 dias

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.