ILHAS CÍES – COMO PLANEAR A VISITA (ESPANHA)

Em agosto fomos às Berlengas, em Portugal, e às Cíes, em Espanha. As Cíes tiveram uma atenção mediática intensa desde o verão passado e, apesar de sempre ali terem estado, bem encostadas, leia-se próximas, do norte de Portugal, pouca gente falava em ir até à Galiza para apanhar o ferry até este local especial.

DSC_7520

Cíes

No verão passado, 2017, ainda tentámos visitar estas ilhas, mas não conseguimos marcar a tempo. Já este verão, optámos por não ouvir as vozes que que anunciavam que não era assim tão bom nem ficámos à espera das habituais companhias indecisas. Quisemos ir, marcámos, e fomos!

As regras para esta época balnear alteraram-se face ao ano passado. É preciso uma autorização da Xunta de Galicia, pedida antes de comprar o bilhete de ferry. Pelo contrário, para quem reserva noites no parque de campismo, não precisa de tratar de mais nada, sendo automático com a reserva da estadia. As noites no campismo esgotam com alguma antecedência, por isso reservámos as duas noites em maio, mesmo para não correr riscos.

Como reservar a estadia:

Ir ao site do parque de campismo e fazer a reserva. Os preços variam com as opções entre tenda própria ou tenda do parque, que vem com cama incluída 😉

DSC_7526

Com tenda do parque: 55€/dia (1-2 pessoas) ou 85€/dia (3-4 pessoas). É necessário ficar pelo menos duas noites. É possível pagar um suplemento para ter uma criança extra (6,9€ dos 3 aos 10 anos e 9,5€ dos 11 aos 17 anos).

Com tenda própria: 9,5€/dia/adulto + 9,5€/dia/tenda e 6,9€/dia/criança.

Recebem por e-mail um código de pré-autorização de visita e com esse código compram a viagem de ferry. A página do camping é extremamente intuitiva, indicando todos os passos e as empresas onde devem comprar os bilhetes de ferry. Paga-se metade da estadia pela internet e o restante à chegada. Pode-se pagar com Multibanco.

DSC_7519

Comprar o bilhete de ferry:

Quem só vai passar o dia às ilhas tem, previamente à compra do bilhete de ferry, de pedir autorização para visitar, a partir do site da Xunta de Galicia.

 

Dica: Pela nossa experiência, comprem diretamente às empresas, pela internet, não usem a directferries, e prefiram a Mar de Ons, os ferries são mais modernos que os da Nabia Naviera. As empresas vão-vos pedir o código de pré-reserva que vem no e-mail da Xunta de Galicia, constituído por números e letras. Depois de confirmado o bilhete recebem o código QR por e-mail, sendo obrigatório apresentar esse código antes do embarque no ferry.

Chegar ao porto e estacionar:

Nós comprámos ida e volta a partir de Vigo, mas também se pode ir de Cangas e Baiona. O porto de Cangas pareceu-nos mais giro, mas foi uma paragem de poucos minutos e não deu para sair do ferry. Para quem parte de Vigo, é fácil identificar o local de embarque, existindo placas que identificam claramente o embarque para Cíes. Pelo contrário, é difícil estacionar de forma gratuita. Como fomos no ferry das 11h já encontrámos o parque do porto cheio, que também é pago, acabando por estacionar no shopping, um parque ao lado, mas mais caro (15,65€/24h).

Embarque no porto:

Quem compra o bilhetes na internet tem de os trocar na respetiva bilheteira pelo bilhete físico. Nessa altura, recebem a indicação do número do cais de embarque. Há sempre funcionários junto ao cais, tanto da Xunta como da companhia do ferry. Os funcionários da Xunta lêem o código QR e os da companhia conferem os bilhetes.

Viagem e desembarque nas ilhas:

A viagem é calma e rápida (45 minutos). À chegada, o cais também tem todas as condições de acessibilidade e encontram logo aquele mar azul turquesa e transparente. Para os que levam muita “tralha”, digo, bagagem, têm uns carrinhos gratuitos do camping para apoiar no percurso (terão de aguardar a vez).

Quanto gastámos:

Noites: 58€ (dois adultos, em tenda nossa);

Ferry: 46€ (fomos ludibriados e pagámos mais – quem nos leu vai poupar);

Portagens: 5,2€

Estacionamento: 58€

Preços de referência de refeições – 2 pessoas:

  1. Pequeno-almoço completo para dois, duas bebidas, dois croissants, uma torrada e tortilla – 12€
  2. Pequeno-almoço de duas bebidas e dois croissants – 5,7€
  3. Caña (fino/imperial) – 2,6€
  4. Almoço com dois pratos principais e uma bebida de lata – 20,1€
  5. Jantar com um prato principal, pão e bebida em lata – 14€
  6. Café – 1,3€

Banho quente: Reforço de utilização da água quente – 0,5€ para a Raquel lavar o cabelo

Levámos algumas coisas de supermercado para reforço por lá: 20€

Feitas as contas, sem contar com o combustível, gastámos quase 250€ para os três dias (duas noites).

DSC_7483

Notas – info útil:

  • Há caixotes do lixo na zona dos restaurantes e balneários.
  • Dois restaurantes no interior do parque de campismo, dois balneários completos e casas de banho mais isoladas.
  • Um restaurante no cais de embarque.
  • Um pequeno espaço que serve tapas.
  • Deve-se levar ténis (há trilhos e não se fazem bem de chinelos).
  • Supostamente é proibido levar butano para cozinhar a gás. Dizemos supostamente, porque em três dias vimos imensos camping gás a funcionar à vista de toda a gente.
  • Em visitas de um dia deve-se estar atento às marés. As marés vivas podem fechar a ligação entre as duas ilhas e quem estiver no sul pode perder algum tempo nas tentativas de atravessar para a ilha do norte, onde é o cais de embarque do ferry.

365 dias no mundo estiveram 3 dias nas Ilhas Cíes, de 13 a 15 de agosto de 2018

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.