Tem graça para nós conhecer Trujilllo no Peru e agora conhecer a cidade que lhe dá o nome em Espanha. A cidade pareceu-nos mais apelativa que Cáceres, não que a anterior não fosse mimosa e fotogénica, mas Trujillo tem menos gente nas ruas e é mais aberta. Choveu muito durante a nossa estadia na Extremadura, mas as abertas permitiram-nos visitar o máximo possível. Chegámos à tarde, deixámos as malas no hostel e seguimos viagem a pé para o centro.

Tem forte influência romana, já foi chamada de Turgalium, e foi ocupada por muçulmanos. A cidade é casa-mãe de Francisco Pizarro, conquistador no Peru, e de Francisco de Orellana, descobridor do rio Amazonas que o percorreu integralmente. As suas estátuas encontram-se pela cidade. Pizarro está a cavalo e Orellana tem um busto em posição de destaque. Estas personalidades da terra tiveram uma forte importância nas conquistas espanholas das américas, após a descoberta de Colombo. Pizarro fundou Lima e Trujillo, fez alianças com o último imperador inca e casou com a sua irmã. Mais tarde foi vítima de traições, tanto do imperador como de outros conquistadores espanhóis.

A cidade não é muito grande, mas já foi bastante importante. Já foi famosa pela Feira de Junho, agora tem a Feira Nacional do Queijo. As festas do padroeiro são o acontecimento local, no primeiro domingo de maio. As festas de El Cristo de la Salud ocorrem na Ermida San Lazaro, uma igreja mais afastada do centro.

DSC_4042

O que visitar:

Plaza Mayor: A praça de todas as cidades espanholas (procurem a estátua de Pizarro).

DSC_4041

Palacio de los Pizarro: palácio da família de Pizarro, marqueses da conquista, pelos feitos na conquista do império Inca. Arquitetonicamente é um marco, bastante bonito, preserva os escudos na fachada e o balcão no canto, representando simbologia indígena, italiana e castelhana.

Palacio Juan Pizarro de Orellana: Cervantes ficou aqui hospedado sob proteção de Pizarro. Construiu-se o palácio renascentista para proteger a Plaza Mayor e a estrada para Sevilha.

Alcazaba de Trujillo: merecia mais enquadramento, uns painéis informativos ajudariam, mas a vista sobre a cidade é imperdível. Pode-se caminhar sobre toda a muralha. Na capela, por 0,50€, podem ver a santa girar.

DSC_4053

DSC_4046

Iglesia de Santa María la Mayor: por 1,5€ e até às 20h pode-se subir até às torres. A torre em que o acesso é feito pela nave da igreja é aberta e mais engraçada, mas a vista é imperdível das duas. O retábulo é muito bonito. Em frente têm o busto de Orellana.

DSC_4069

DSC_4073

Torre del Alfiler: tudo fechava às 19h por isso tivemos que selecionar o que visitar até ao final do dia. Não subimos porque achámos que a vista do castelo seria melhor. Construída como fortificação árabe. Fez parte da mansão dos Chaves-Orellana.

Casa Museo Pizzaro: a casa é bastante bonita, pelo menos do exterior. É a casa de Pizarro, onde se expõem diversos objetos e factos da sua história. A entrada custa 1,5€.

Puerta de San Andrés: a passagem, bem preservada, faz-nos imaginar uma entrada formal na cidade, como se estivéssemos a atravessar portões. Há outras pela cidade, como a Puerta del Triunfo e a Puerta de la Coria.

Onde comer:

Não fizemos grandes refeições na cidade porque lanchámos quando começou a chover e os montaditos e bocadillos deixaram-nos quase jantados.

El Cafe de Trujillo é um espaço agradável para lanchar ou tomar o pequeno-almoço. A pastelaria é vasta e tem bom café (Delta). Funciona em pré-pagamento e fica muito perto da Plaza Mayor. Tem também uma pequena seleção de produtos locais para venda, como licores e afins.

Onde dormir: 

O Eurostars Palacio de Santa Marta fica muito perto da Plaza Mayor, tem piscina, e é talvez dos espaços da cidade com mais pinta. Do género, encontra-se o Hotel El Mirador de las Monjas.

Os Hotel Boutique Posada dos Orillas e o Palacio Chaves Hotel têm um ambiente de casa burguesa.

Sair à noite:

Nós não o fizemos. Chovia, eram os anos do Tiago, tínhamos uns dias intensos com muito para visitar, mas parece-nos que vale a pena visitar alguns espaços, como La Abadía. Tem um terraço giro e uma vista privilegiada para o castelo. Também se recomenda o Imaging.

365 dias no mundo estiveram na Extremadura de 17 a 20 de abril de 2019

 

Para guardarem este post para ler depois no Pinterest é só fazerem pin na imagem.

Trujillo