365diasnomundo.com

VERONA SEM ROMEU E JULIETA (ITÁLIA)

Quando se decide ir a Veneza é fácil conjugar com outras cidades do Veneto. Veneto é a região italiana desde as Dolomitas, muito na moda em 2022, e o mar Adriático. Engloba as famosas Veneza, Verona, Treviso, Pádua e outras. Nós decidimos ficar um dia e meio em Verona, não em busca de Romeu e Julieta, mas para conhecer mais uma cidade. Verona tem sido associada ao trágico romance de Shakespeare Romeu e Julieta e tanto os filmes que o retratam como as comédias românticas actuais se passam muitas vezes aqui. Falando de Romeu e Julieta, o autor nunca visitou a cidade, e não é bem o criador da história, o escritor inglês adaptou uma versão original italiana. Além disso, apesar dos Montecchi e os Cappelletti terem existido, já que Dante também fala neles, Romeu e Julieta podem não passar duma lenda local. No entanto em termos turísticos Verona decidiu aproveitar o fenómeno Romeu e Julieta e é com base nas residências das famílias que se estabeleceram as casas de Julieta e de Romeu.
Verona é uma cidade rica em arquitectura, sendo por isso património UNESCO. Pertenceu à República de Veneza, esteve sob domínio de Napoleão e império austríaco, e foi entregue à Itália em 1866. É uma cidade medieval, com zona antiga, palácios, ruínas e a arena.

O que visitar

Piazza Bra: aqui ficam a arena e a porta. A arena criou aqui um ponto de encontro e vários palacetes nasceram aqui. Hoje os turistas reunem-se aqui, para passear ou almoçar. Desde 1984 e por ideia de Rinaldo Olivieri que a praça tem uma decoração peculiar no Natal. A stella cometa di Verona, de aço branco pesa 78 toneladas e mede 70 metros, possui um arco que sai da arena e “cai” na praça Bra.

Arena Verona: é o 3º maior coliseu do mundo. Em 1183 um forte terramoto destruiu as arcadas mais exteriores. Essas pedras foram colocadas na muralha da cidade.
Antigamente faziam-se aqui lutas de gladiadores e provavelmente também de animais selvagens. No entanto, hoje há concertos e espetáculos graças à acústica. Recebe 600.000 mil pessoas sendo a época de ópera ao ar livre maior do mundo com obras como Aida, La Traviatta, o barbeiro de Sevilha, Carmen e Rigoletto.
Tinha fila, mas tentámos comprar pela internet e não foi fácil. Custa 10€, crianças até aos 7 não pagam e dos 8 aos 14 pagam 1€, acima dos 60 anos custa 7,5€ (taxa de compra online é de 10%). Abre de terça a domingo das 9 às 19h. É o MidaTicket que vende os bilhete online, mas exige criar um utilizador.

I Portoni della Brà: o portão unia a cidade ao território sub-urbano. É referido a primeira vez em 1257 como sendo apenas um arco, e terá passado a duplo arco entre os séculos XV e XVI. O relógio é do ano 1872.

Piazza del Erbe: aqui ficam o Palazzo Maffei, de 1668, a fonte Madona di Verona, no meio da praça e o Leão alado de São Marcos que fica no alto da coluna simbolizando ao domínio de Veneza sobre Verona em 1405, e a Casa dei Mercanti um prédio de 1301 típico de Verona.

Arco della Costa: fica entre Piazza del Erbe e a Piazza dei Signori. Une o tribunal às casas dos magistrados.

Piazza dei Signori: aqui morou Dante, autor da Divina Comédia, tornando a praça conhecida como Praça de Dante. Existe uma estátua do próprio, posta pelos austríacos, durante o seu domínio da cidade de noite para impedir que os italianos festejassem com uma grande celebração a sua colocação.

Castel San Pietro: fica acima do teatro romano. Podem subir de escadas, junto à Ponte Pietra ou de funicular. Entre 1854 e 56 os austríacos construíram no Monte Galo os seus quartéis, devido à posição privilegiada.
O funicular é 1939 para transportar os alunos da Accademia delle Belle Arti G. B. Cignarolique se localizava no castelo. Após anos de abandono reabriu em 2017. Subir e descer custa 3€ ou 2€ num sentido. Bebés com menos de um ano não pagam, crianças de 1 a 10 anos e maiores de 65 anos pagam 2€ (ida e volta).

Casa di Giulietta: havia uma fila grande, mas que até circulava rápido, a Raquel foi ver e era para a casa da Julieta, grátis neste dia. O pátio é de acesso livre, mas a famosa varanda não. No pátio está a estatua de Julieta, a tal que dá sorte ao amor se lhe esfregarem os seios. É uma das grandes atrações da cidade, mas o Tiago, do alto do seu romantismo disse “sabes que Julieta e Romeu não existiram, não sabes? Não vale a pena.” E foi assim que estivemos em Verona e não fomos ver a casa de Julieta com a famosa varanda onde diz a crença popular que recebia as visitas de Romeu. Custa 6€, maiores de 60 anos pagam 4,5€, crianças dos 8 aos 14 pagam 1€, até aos 7 não pagam. Há um bilhete combinado da Casa da Julieta, Túmulo e Galeria de Arte Moderna por 8€.

Museo degli Affreschi ‘Giovanni Battista Cavalcaselle’: fica no convento di San Francesco al Corso, reconstruído no século XVII. Aqui fica a famosa Tomba di Giulietta. Girolamo da Corte, estudioso, identificou o túmulo como sendo o local onde foram sepultados os jovens amantes. O espaço foi vítima da sua fama, e romarias de românticos chegavam, levando até pedaços do mármore, como se fossem relíquias. Foi renovado e criada uma espécie de capela. Custa 4,5€, maiores de 60 anos pagam 3€, crianças dos 8 aos 14 pagam 1€, até aos 7 não pagam. No dia da mulher, estas entram grátis e de outubro a maio, no primeiro domingo o bilhete custa 1€.

Torre dei Lamberti: uma vista de 360º a 84 metros de altitude, assim é subir à torre. A torre foi construída pela família Lamberti em 1172, colapsou em 1403 e foi reconstruída. Hoje tem um relógio. O bilhete inclui a vista à Galeria de Arte Moderna. Podem subir os 368 degraus ou ir de elevador. Custa 6€, abre todos os dias excepto 25 de dezembro. A página oficial recomenda a reserva por email: TORREDEILAMBERTI@AGEC.IT

Castelvecchio: no Museu de Castelvecchio encontram coleções de arte medieval, renascentista e moderna. Tem grande importância histórica para Verona. Entre 1354 e 56 Cangrande Il della Scala decidiu construir um castelo para impor um controle no acesso norte à cidade. Durante os domínios napoleónicas e austríacos a cidade foi dividida em 2. Os franceses ficaram à direita do Adige e os austríacos à esquerda. Em 1923 o estado italiano vende o castelo ao município. Voltam-se a erigir as torres que tinham sido retiradas pelos franceses. O genro de Mussolini foi julgado na ala oriental do castelo. Custa 6€, maiores de 60 anos pagam 4,5€, crianças dos 8 aos 14 pagam 1€, até aos 7 não pagam. Há um bilhete combinado da Castelvecchio/Museo Lapidario Maffeiano por 7€.

Ponte Scaligero: a ponte completa a defesa do Castelvecchio. Cangrande II mandou construir a ponte como caminho de fuga, qualquer ataque teria que ser feito pela margem direita, permitindo à família Della Scala fugir nesta direcção. Na 2ª Guerra Mundial ficou quase destruída, mas foi fielmente reconstruída. Tornou-se num dos postais de Verona, também graças à sua ousada forma.

O que fazer

Free Walking Tour: tivemos uma estadia muito curta, e bastante tempo na fila da arena e decidimos não fazer a free walking tour da praxe, mas são sempre boas formas de conhecer as cidades. O tour começa no Arco dei Gavi e dura 2h.

Termas: a zona do lago Garda é muito forte em termas. Pode ser um bom programa para fazerem. Não vos vamos recomendar nenhuma em especifico, primeiro porque não utilizámos e depois porque TODAS têm boa classificação no google.

Ver um espetáculo na Arena de Verona: pode assistir a um concerto, a uma ópera, etc. Se quiserem assistir a um espetáculo podem comprar na página da Fundação Arena de Verona.

Roteiro Romeu e Julieta: se a vossa intenção é desfrutar da lenda dos apaixonados devem ver a casa de Romeu (Via Arche Scaligere, 8, mas não é visitável por ser propriedade privada), entrar na casa de Julieta, ver a varanda, a estátua, deixar uma carta na parede. Visitar o Clube de Julieta (Vicolo Santa Cecilia 9) e terminar no seu túmulo.
Dante descreve duas famílias inimigas os Montecchi e os Cappelletti. Os Montecchi podem ser os a favor do imperador, Monticolli que existiram durante o tempo do governador Bartolomeo I Della Scala. A favor do papa existiram os Dal Cappello, que podem ser os Cappelletti do romance. Isto são suposições, já que parece que Shakespeare descreveu o governador Scala como Escalo. Conhecem a história, não conhecem? A família de Julieta dá uma festa e Romeu entra mascarado. Conhecem-se e amor para sempre (#soquenao). Por serem famílias rivais (questões políticas) a coisa não corre bem. Para fugir a um casamento arranjado Julieta simula a sua morte, Romeu não recebe o recado e vendo a amada “morta” bebe veneno. Julieta acorda, vê Romeu morto e suicida-se com o seu punhal. As famílias reconciliam-se após a tragédia. Claro que há aqui muito mais história pelo meio.
Sobre o Clube de Julieta, trata-se duma organização sem fins lucrativos. Começou em 1930, com o guardião do túmulo (Ettore Solimani) que recolhia as cartas de amor que os visitantes deixavam. Respondia a todas assinando como “Secretário de Julieta”. Mais tarde, em 1972, criou-se o clube, ideia de Giulio Tamassia. Hoje existe um espaço com várias secretárias que respondem a todas as cartas, nas diversas línguas. Ouvimos falar pela primeira vez nisso n filme “Letters to Juliet”.

Onde ficar

Podem dormir no centro da cidade o que será recomendado ou ficar fora, que foi o que fizemos. Nós optámos por dormir no Leonardo Hotel Verona, uma cadeia de hotéis. Fica perto do centro de convenções. Para nós tinha a vantagem de ter estacionamento gratuito e ser perto do shopping para irmos às compras para a Maria. Não é fácil encontrar iogurtes naturais não açucarados nos pequenos-almoços, por isso o shopping facilitava-nos a vida. Os quartos são espaçosos, tem um jardim, pequeno-almoço saboroso e é pet friendly.

Para ficarem dentro da cidade escolham alojamentos tipo AL para desfrutarem duma estadia local. Para viver em pleno o amor de Julieta e Romeu, ou terem uma estadia romântica, perfeita para celebrar aniversários de relações ou pedidos de casamento sugerimos La Corte Di Giulietta ou Le Suite Di Giulietta. Têm vista para o pátio e varanda da Casa de Julieta.

Onde comer

Em Itália recomenda-se massa, risottos e pizzas. Devem comer a polenta com carne (polenta i osei), feijão (polenta infasola), massa com feijão, pastisada de caval (cozido de cavalo), bigoli con l’anatra.

Yard Restaurant: é um restaurante da moda, tendo inclusive aparecido num filme da Netflix, precisam de reserva, mas se gostam de restaurantes bonitos e com comida bonita é o vosso sítio. Tem brunch ao fim de semana (26-28€) e menu de almoço (15€).

Miscusi: é um restaurante de massas. Comemos il siciliano, um tartaro de ambas com pesto de pistácios e tagliatelle funghi e parmigiano. O serviço é simpático.

Ci Sta: aqui come-se pizza. Encontram aqui famílias italianas a almoçar com os filhos.

Il Punto Rosa: queríamos ter ido a esta hostería, mas percebemos que reservar é recomendável. Tem um ar rústico e local como se quer.

Piadineria Artigiana Bacchabundus Cavour: estava fechada quando lá fomos, mas pareceu-nos um bom espaço de piadinas.

Dal Grano La Madre Pizza: pizza fofa, variada e pronta. Pode ser um bom espaço para levar para casa.

Pizzeria Leone: é uma pizzaria napolitana, tradicional.

Aqui o Pandoro é famoso. É o pão dourado de natal em forma de estrela e coberto de açúcar em pó. O Chef Dominic Melegatti registou a patente deste bolo em forma de estrela de 8 pontas.

Como chegar

Nós fomos de carro, mas o estacionamento é um problema.

Podem chegar de comboio pela estação Verona Porta Nuova. Da estação até ao centro podem ir de autocarro (linhas 52, 51, 11, 12).

Este artigo pode conter links de afiliados

Há imagens de bancos gratuitos

365 dias no mundo estiveram em Verona de 1 a 3 de janeiro de 2023

Partilhar:

2 respostas

  1. Gostei muito de visitar Verona, com um look completamente diferente deste. Fui no Verão e a cidade tinha cores muito simpáticas. E estava super florida.

    1. É super interessante ver como as cidades mudam com as estações. O verão tem só o “problema” de ter os espaços mais concorridos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Indice

Mais artigos

Espanha

VALÊNCIA: QUE FAZER EM 3 DIAS (ESPANHA)

Valência é uma cidade que é um ótimo destino de praia, para amantes de artes e para famílias. Também permite chegar às ilhas baleares, de ferry. Bem vindos à cidade das artes.

Ler Mais »
Espanha

O QUE FAZER EM IBIZA (ESPANHA)

Ibiza tem fama de ilha de noitadas e discotecas, mas continua a ser destino de praia familiar. Comprovámos que vale a pena ir a Ibiza em família e com crianças pequenas.

Ler Mais »